Pop-ups

Enquanto utilizador de websites, é provável que não goste de pop-ups. Porém, enquanto web designers, profissionais de marketing ou proprietários de uma empresa, às vezes precisamos de colocar os nossos sentimentos e opiniões de parte. Ao contrário do que muitos dizem, os pop-ups não são “o pior mal que veio ao mundo” e podem até ser bastante úteis, tanto para si enquanto proprietário de um website, quanto para os usuários do mesmo. Compilamos um conjunto de práticas para que possa usufruir dos pop-ups da forma mais frutífera possível.

Google: o elefante na sala

É provável que já tenha ouvido dizer que a Google classifica os websites que usam pop-ups como pouco confiáveis, o que diminui a probabilidade de eles aparecerem no topo das pesquisas. No fundo, é disto que a Google não gosta:

Apesar disto, o seu website deve fazer mais que agradar a Google. O importante é que sirva os objetivos que traçou para ele! A boa notícia é que os rumores não correspondem à verdade dos factos. Atentemos à política oficial da Google quanto a esta questão:

“(…) As páginas cujo conteúdo não é facilmente acessível para um usuário na transição dos resultados da pesquisa móvel podem não ter uma classificação tão elevada. Este novo sinal é apenas um entre centenas de sinais usados ​​na classificação, e a intenção da consulta de pesquisa ainda é um sinal muito forte, portanto, uma página pode ter uma classificação elevada se tiver conteúdo excelente e relevante”.

Ou seja, o uso de pop-ups no seu website é um entre os vários fatores que a Google tem em conta ao destacar (ou não) o seu website. No final de contas, é o conteúdo que mais importa!

Não use pop-ups se não precisar deles!

Um pop-up deve ser desenvolvido para servir um determinado propósito específico. Em alguns casos, terá mesmo de os usar: se o seu website requer verificação de idade ou se tem a obrigação legal de partilhar uma determinada mensagem com os utilizadores. É importante perceber que nestes exemplos, não haverá qualquer impacto negativo na sua performance na Google. Mas e os pop-ups de marketing? Um pop-up para aumentar a subscrição via e-mail, para anunciar um evento/desconto ou, ainda, para motivar os utilizadores a fazerem uma compra antes de abandonarem o site. Estes e outros exemplos podem trazer muitos benefícios se implementados corretamente. Contudo, graças à cultura negativa criada em torno desta ferramenta, é importante verificar a possibilidade de atingir o mesmo objetivo sem usar um pop-up.

Monitorize os seus pop-ups

Se vai usar um pop-up, é importante que perceba que ele vai afetar a performance do seu website – ou para melhor ou para pior. Imaginemos que pretende adicionar um pop-up para motivar a subscrição da newsletter. Está claro que terá de ter em conta a quantidade de e-mails que subscreveram. No entanto, se apenas der atenção a isso, poderá escapar-lhe o facto de que a sua taxa de rejeição aumentou e as suas receitas diminuíram. Provavelmente, mais alguns endereços de e-mail na sua lista não valem a diminuição do desempenho do site e a perda de vendas. É importante saber o que está a medir e como pesar esses resultados!

Desenvolva pop-ups que se adequem ao seu website e à sua marca!

Os pop-ups destacam-se por natureza e, por isso, não precisam de ser desconfortáveis aos olhos dos utilizadores. Um pop-up será sempre uma extensão do seu site e deve respeitar o design e a identidade gráfica do mesmo, mostrando coesão e harmonia.

Garanta que os pop-ups são fáceis de usar e fáceis de fechar!

Um pop-up não pode prejudicar a usabilidade do seu website. Na pior das hipóteses, poderá ser um inconveniente leve e momentâneo para quem o visite. Deve ter uma mensagem e um apelo à ação claros. Os utilizadores não devem nunca ser confrontados com um pop-up que os faça perguntar o que fazer a seguir. Ainda mais importante, deve ser fácil fechar o pop-up. A maioria dos visitantes não usa o pop-up para completar o propósito da visita, então é melhor simplificar o processo, tornando o seu fecho intuitivo.

Não use pop-ups em demasia!

A única coisa inquestionavelmente mais irritante que um pop-up é vê-lo sempre que visitamos um mesmo site. Ou, pior ainda, ver o mesmo pop-up em todas as páginas do site. Se uma pessoa visitar o seu site cinco vezes e receber o mesmo pop-up para subscrever a newsletter – especialmente se já subscreveu – ficará com uma impressão não muito positiva da sua empresa. O seu pop-up deve depender de cookies (leia o artigo “Não queiras ser a última bolacha do pacote” e conheça melhor esta ferramenta) para garantir que não é exibido continuamente aos mesmos visitantes nos mesmos dispositivos. Uma vez visto o pop-up, garanta que ele não aparece novamente!


À pergunta “gosta de pop-ups?”, é provável que a maioria das pessoas responda que não. Ainda assim, eles funcionam! Desde que tenha estratégias de comunicação e marketing bem definidas, pode ter a certeza que os pop-ups serão muito mais úteis que prejudiciais para o seu negócio.

A Young Minho Enterprise presta serviços de criação de websites. Ainda não está convencido? Visite o nosso portfólio ou algumas páginas que temos em mãos, como a TecniBuild e BabeliUM.