Carrinhos de Compras Abandonados

Dizia Luís de Camões que quando os tempos mudam, mudam também as vontades, mas sabe que motivos levaram a essas mudanças? Sabe quanto tempo foi preciso? No que concerne à vontade de comprar um produto ou serviço online, a vontade pode, por vezes, mudar em muito pouco tempo. De acordo com um estudo realizado pela Moosend, a taxa média de abandono do carrinho de compras das lojas online é de 69%. As questões que se impõem são: quais os motivos e de que maneira é possível recuperá-los? Neste artigo, respondemos-lhe a estas e a outras dúvidas que possa ter.

Como é que um carrinho é abandonado?

Falando sempre no universo do online, isso ocorre quando um cliente não finaliza o processo de compra num website, deixando o carrinho de compras ao abandono. Comparando com o que acontece em lojas físicas, é quase como ver um artigo do seu agrado, ponderar comprá-lo, mas acabar por deixá-lo para trás. 

Quais são as principais razões?

  • Valor dos portes: De acordo com a Moosend, os elevados custos dos portes de envio constituem 60% dos motivos do abandono. Os potenciais clientes ficam desencorajados quando veem que, ao preço do produto, ainda é acrescido outro valor que muitos consideram ser demasiado caro para o que estão a comprar.
  • Valor mínimo para portes gratuitos: O que os e-commerces fazem para tentar suprimir o motivo anterior é estabelecer um valor mínimo de compra para o envio ser gratuito. O problema acontece quando esse valor é muito elevado e as pessoas, mesmo adicionando mais itens ao carrinho, não o conseguem atingir e acabam por desistir.
  • Obrigatoriedade de ter uma conta: Se alguém dá início ao processo de pagamento, mas não se quer comprometer ao ponto de criar uma conta, certamente ficará desmotivado com a notificação de que é necessário ter uma conta na loja para poder prosseguir. A situação agrava-se quando esse processo é moroso, contendo muitas perguntas (demasiadas para os que acabam por desistir da compra).
  • Preferência pelas lojas físicas: Muitas vezes, os consumidores recorrem ao online para perceberem que itens querem comprar e quanto é que tudo custará, para, no fim, irem a uma loja física. Esta forma acelera ligeiramente o processo de decisão nas lojas uma vez que, à partida, já existe uma ideia mais ou menos clara do que se quer adquirir.
  • Entrega demorada: Quando os prazos de entrega apontam para uma data muito distanciada da data da compra, as pessoas abandonam o processo e recorrem a websites alternativos, com prazos mais curtos, ou às lojas físicas.
  • User experience menosprezada: Se o website em si for confuso para os clientes, ou se surgirem algumas dúvidas no processo de pagamento, que é, normalmente, a mais decisiva, estes abandonam o processo. Ao ser inexato na sua interface, os clientes podem até sentir-se revoltados com a situação e optam por sair da mesma em vez de tentarem procurar uma solução.
  • Forma habitual de pagamento indisponível: Os consumidores, por norma, têm métodos de pagamento preferidos. Se esse não constar nas opções oferecidas, há alguma probabilidade de não finalizarem o processo. Deixamos-lhe aqui uma dica! Uma das formas mais simples de excluir este obstáculo é ter no seu e-commerce um gateway de pagamento, uma vez que permite abrir o leque de alternativas. Para saber mais sobre este tema, visite o nosso artigo Gateway de Pagamento.
  • Problemas técnicos: Pode parecer uma desculpa esfarrapada, mas a verdade é que são vários os que podem ocorrer. Problemas do servidor, quebras de luz, falta de internet ou o aviso de “página não encontrada”, são alguns evidentes. Cabe-lhe a si perceber quais pode prevenir.

Como se recupera?

Se é detentor de um e-commerce deve estar a perguntar-se se há alguma maneira de evitar perder todas estas possíveis receitas. Há, sim, soluções para conseguir reconduzir as pessoas aos seus carrinhos abandonados. Veja quais:

  • Remarketing

Esta estratégia permite colocar anúncios de incentivo à retoma da compra que os consumidores deixaram a meio, nos seus canais de interesse. Para facilitar a compreensão, suponha que um cliente não terminou a sua compra. Através desta estratégia, podia criar anúncios específicos nos feeds ou histórias das redes sociais, em websites de notícias e noutras páginas que esse cliente consuma com frequência, relembrando-o que interrompeu a sua compra. Ao ver a publicidade, pode ser que o cliente carregue nela para concluir a transação.

  • E-mail marketing

Se o cliente tiver inserido o seu e-mail em algum lado no website, então tem a ferramenta perfeita para o persuadir a retomar a compra. Tendo acesso a esse dado e ao(s) produto(s) deixados para trás, uma forma eficaz é enviar um e-mail de recuperação do carrinho de compras, para alertar o cliente, criando um género de lembrete. O ideal é conseguir acentuar a ideia de urgência da compra, que tenha uma call-to-action específica, criativa e direta, de modo a convencer o cliente a finalizar a compra. Uma forma de aliciar os clientes é a oferta exclusiva de alguma coisa: descontos, portes gratuitos, promoções, oferta de um item, etc. Deste modo, as pessoas percebem que têm algo a ganhar ao dar continuidade ao processo.

A Young Minho Enterprise presta serviços de criação de websites. Ainda não está convencido? Visite o nosso portfólio ou algumas páginas que temos em mãos, como a TecniBuild e BabeliUM.