Marketing Mix e a sua aplicação num Plano de Marketing

O Marketing Mix é um conceito que define os quatro pilares básicos de qualquer estratégia de marketing bem-sucedida. Este conceito é também conhecido como os 4 P’s do marketing. 

Estes acabam por estar relacionados com o branding, uma vez que traduzem os pilares da marca e da sua estratégia para com o consumidor. Sem estes, o posicionamento tende a não ser bem transmitido ou consolidado no mercado, acabando por causar confusão no que concerne à imagem da marca.

Assim, no artigo de hoje, iremos mostrar como é que o Marketing Mix pode ser utilizado como base do plano de marketing, de modo a que o produto e a empresa possam crescer e expandir no mercado!

1. Vantagens da Aplicação do Marketing Mix

O Marketing Mix tem grande importância para as empresas, por ser uma ferramenta que orienta o planeamento e faz com que as estratégias sejam efetivas. Em adição, os 4 P’s do Marketing servem para colocar a marca no mercado, conforme aquilo que esta deseja alcançar. Assim, as definições de cada parte integrante deste conceito são responsáveis por consolidar a imagem de uma marca ou produto/serviço na mente dos consumidores, bem como por transmitir o seu posicionamento ao público-alvo. 

Neste sentido, o framework do Marketing Mix ajuda a englobar todos os pontos de contacto com o consumidor. Normalmente, quando se fala de marketing, pensa-se simplesmente nas ações e na promoção da marca ou do produto/serviço. No entanto, a perceção desta é influenciada por outros fatores que compõem a experiência com a marca ou produto/serviço.

Utilizar o Marketing Mix como base da estratégia e plano de marketing é também benéfico para que a marca se diferencie da concorrência, uma vez que o posicionamento procura um espaço único e relevante na mente do segmento-alvo, que não pode ser ocupado ou substituído pelos concorrentes. Em suma, as estratégias originadas devem ser capazes de criar uma imagem sólida para a marca, transmitir a sua proposta de valor e diferenciá-la na ótica do consumidor.

2. Quais são os 4 P’s do Marketing?

Como já foi mencionado, os quatro pilares de uma estratégia de marketing são o Produto, Preço, Place e Promoção.

O produto é a base da existência das empresas. Dependendo da sua área de atuação, podemos estar a referir-nos também a um serviço. Na ótica do marketing, o produto é aquilo que satisfaz uma necessidade, real ou percecionada, dos consumidores, e lhes oferece benefícios. É em torno deste que os restantes P’s são criados. Aqui, é necessário tomar decisões que envolvem a qualidade, as caraterísticas, as linhas e os serviços agregados ao produto. A partir destes factos, o consumidor consegue perceber os atributos do produto. É, ainda, necessário entender o ciclo de vida do produto e compreender em que fase se encontra – introdução (quando este é inserido no mercado); crescimento; maturidade; e declínio – de forma a aplicar as estratégias mais adequadas.

Já o preço é determinante na construção da imagem da marca e é o único capaz de gerar receita para a empresa, sendo essencial no Marketing Mix. Este ponto envolve decisões no âmbito da formação do custo, do modelo de cobrança, de variações regionais e condições da forma de pagamento. Assim, o preço é aquilo que o consumidor paga pelos benefícios que o produto lhe traz. Por este motivo, exige o envolvimento de uma forte componente psicológica, pela análise custo-benefício do produto em questão. Assim, quanto maior é a perceção de valor do produto, mais o consumidor está disposto a pagar por ele. Aqui têm de se considerar também os custos da empresa, o lucro que esta deseja alcançar, a comparação com os concorrentes e a perceção daquilo que deseja transmitir ao público-alvo. É também necessário estar atento ao mercado para poder ajustar este fator quando necessário, pela sua flexibilidade – ainda assim, não se deve alterar o preço do produto de forma frequente, uma vez que pode confundir a perceção do consumidor.

Por sua vez, o ponto de venda (place) refere-se a canais de distribuição e pontos de venda do produto. É aqui que se define como este vai chegar ao consumidor. Assim, envolve também decisões relativas à cobertura de distribuição, regiões de venda, stock e logística. As estratégias de distribuição encontram-se dependentes do tipo de produto vendido e das decisões que têm de ser tomadas, nomeadamente sobre custos, tempos de entrega, número de intermediários e opções de canais de venda da empresa. Um negócio pode optar por vender em lojas físicas, através de  e-commerce, entregas ao domicílio ou recolha em loja.

Por fim, a promoção é o fator mais associado às estratégias de marketing – pretende estimular a procura pelo produto junto do segmento-alvo. A promoção envolve, assim, decisões ao nível da propaganda, da promoção de vendas, publicidade, relações-públicas, redes sociais, merchandising e até mesmo influencers. Resumindo, é aquele que se responsabiliza por comunicar a marca ao público-alvo, procurando despertar o interesse e a expectativa sobre os atributos tangíveis e intangíveis do produto. No entanto, a expectativa tem de corresponder à experiência do consumidor de modo a não gerar descontentamento por parte do consumidor e poder beneficiar do word of mouth (quando um produto é bem falado por outros consumidores, acaba por promover o produto e a marca sem ser necessário investimento extra). Na promoção, o marketing digital tem sido o maior protagonista. 

Para curiosidade, outros autores surgiram com outras teorias que englobam outros P’s – como, por exemplo, os 7 P’s, que acrescentam aos quatro mencionados pessoas, processo e physical evidence. No entanto, todos concordam que a base do marketing se prende com os quatro mencionados. De qualquer forma, cada uma destas técnicas é benéfica para impulsionar a estratégia de marketing da empresa.

Agora que já conhecemos também os pilares do marketing, está na hora de começar a trabalhar no plano de marketing. No artigo da próxima semana, poderá encontrar dicas de como aplicar o Marketing Mix na sua estratégia!

A Young Minho Enterprise presta serviços de criação de websites.

Ainda não está convencido? Visite o nosso portfólio ou algumas páginas que temos em mãos, como a TecniBuild e BabeliUM.