A arte de valorizar os detalhes

De certeza que já ouviste a expressão “São os pequenos detalhes que fazem a diferença”. Como  profissional de comunicação, posso dizer, com toda a certeza, que é verdade. Num mundo cada  vez mais saturado de imagens e informação, é essencial sabermos como sobressair e acredito  que o podemos fazer valorizando os detalhes. 

Pensa naquela vez em que um professor te pediu, e ao resto da turma, que fizesses um  trabalho. São, digamos, 50 alunos a entregar uma folha de papel sobre o mesmo tema. Ou, então, imagina que tens uma loja. Quantas existem na cidade, ou no país, a vender a mesma  coisa? É através dos mais pequenos detalhes que te podes destacar dos restantes, seja na sala  de aula, ou no mundo profissional. 

Fui-me apercebendo, ao longo do meu percurso académico e na YME, que temos tendência a  julgar as marcas pelas mais pequenas coisas. Às vezes nem nos apercebemos e fazemos este  exercício inconscientemente, mas basta vermos, por exemplo, uma vírgula em falta, um nome trocado ou uma fotografia fora do sítio que já questionamos a credibilidade daquela marca. E é  porque os detalhes podem ditar o nosso sucesso, ou não, que os considero tão importantes. 

Deixo-te, então, algumas dicas para esta que é a arte de valorizar os detalhes: 

Faz sempre as coisas bem à primeira — se começares a fazer o teu trabalho com um objetivo de  finalidade, a probabilidade de te esqueceres de retificar coisas no final é menor. É claro que  deves sempre rever tudo, mas fui-me apercebendo que se deixar as pequenas coisas para o fim  acabo por me esquecer de as fazer. 

Pede a alguém para rever — às vezes passo dias a fio a olhar, por exemplo, para o cartaz que  estou a criar e, por isso, é inevitável que me passe algo ao lado. É sempre uma mais-valia pedir  a alguém que nada tenha a ver com o assunto para procurar esses pequenos erros. 

Treina o teu olhar — há quem seja perfecionista por natureza e, por isso, repara nos mais  pequenos detalhes (como uma linha ligeiramente torta ou um espaço mais curto do que outro),  mas nem todos somos assim e ninguém é infalível. Assim, é importante que treines o teu olhar  para que possas captar estes pequenos detalhes. Procura cartazes, websites, posts, etc. e  procura ver quais os detalhes que podiam ser melhorados. 

Tudo comunica — já deves ter reparado que as minhas dicas são sobretudo sobre design gráfico.  No entanto, não nos podemos esquecer que tudo comunica. Todos os detalhes devem ser tidos  em conta desde, por exemplo, a roupa, o tipo de papel, o tom de voz, os erros ortográficos e  gramaticais e a postura.  

 

Mariana Oliveira

Membro do Dept. de Comunicação e Marketing